SUA CARA | A era 'disco' está de volta!


Sensação dos anos 1970, o gênero musical ‘disco’ embalou o mundo todo. Inspirado nas noites urbanas estadunidenses, o gênero musical é caracterizado por batidas compassadas, cores exuberantes, bandas compostas por trompetes, cordas, pianos e guitarras elétricas para todos os lados.

Seguindo a sensação das discos ou ‘discotecas’, artistas como Donna Summer, Gloria Gaynor, Bee Gees, Village People e Michael Jackson foram os principais destaques dessa era de muito brilho, muita cor e muita música boa. Não só ao cenário musical pertenceu a era disco, muito pelo contrário, ele foi além, alcançando filmes de sucesso como Saturday Night Forever (1977) e Thank God, It’s Friday (1978). No início, o ritmo era de grande destaque nos subúrbios e periferias da Filadélfia e Nova York, tendo como público fiel os afro-americanos, hispânicos e grande parte da comunidade LGBT nos anos 1970 e 80. 

Indo contrário a cultura do rock da década de 1960, o disco ganhou novos públicos, empoderando e trazendo, literalmente, cor às vivências, músicas e jeitos de levar a vida. Os DJs tiveram boa influência na propagação da era disco, já que tocavam nos clubes noturnos até meados dos anos 1990, quando o pop se tornava a grande atração internacional do momento.

Atualmente o disco vem se fazendo presente na moda, música, nas baladas, na beleza e nos feeds das redes sociais. No quesito moda, a junção dos elementos extravagantes e sintéticos estão, aos poucos, ganhando espaço e voltando para os armários das pessoas. Calças com as barras mais largas, chamadas hoje de ‘calças flare’, um dia foram chamadas de ‘boca de sino’. Óculos grandes e outras peças com laços, paetês, strass e babados marcam presença por onde passam. 

Fotos: Reprodução/Internet

Na beleza, o disco é influência total, principalmente em artistas como Zendaya, Billie Eilish, Beyoncé, Taís Araújo e muitas outras, trazendo cortes de cabelo que dão destaque nas franjas e no cabelo volumoso cheio de brilho. As demais peças fazem com que essa composição reforce o retorno da era disco em pleno 2020. 

Nos posts do Instagram, a junção de beleza e moda fazem sucesso como “nova tendência”, mostrando peças cheias de elementos coloridos e referentes ao glamour dos anos 80’s. E, por mais que você não acredite, na música não tem como negar que a discoteca chegou com força. Cantores como The Weeeknd, Dua Lipa, Doja Cat e IZA expressam, com muito entusiasmo, essa era. 

Os hits ‘Bend the Knee’, de Bruno Martini, em colaboração com IZA e Timberland; ‘Blinding Lights’, do The Weeknd; ‘Levitating’, de Dua Lipa, e ‘Midnight Sky’, da Miley Cyrus, como de tantos outros artistas, carregam toda a estética do disco nos clipes, nas batidas e, principalmente, no marketing. As publicidades desses artistas buscam esse contato com o diferente para se tornar “o diferente”. Dua Lipa e The Weeknd estão seguindo essa tendência à risca para a publicidade de seus álbuns ‘Future Nostalgia’ (deluxe e álbum remix) e ‘After Hours’. Em espaços esporádicos, até Harry Styles foi adepto a moda da discoteca para a promoção do álbum ‘Fine Line’. Até o grupo coreano de Kpop, BTS, trouxe no single ‘Dynamite’ as batidas dançantes e a estética do disco no clipe. 

Mas tudo que vem precisa passar! E é claro que mais uma vez ficaremos marcados por essas batidas que vem embalando as nossas faxinas, os nossos banhos e o nosso home office, dando outro astral para estes dias difíceis. E, para finalizar, e pensando justamente em mudança de astral, deixo aqui a minha playlist “get up and dance” para mudar seu dia ao som das batidas da era disco 2.0, mesclando um pouco dos anos passados com os atuais.




Até a próxima!

0 comentários