Resenha | Outros jeitos de usar a boca


São poemas sobre (r)existir. Sobre o processo de trauma até a cura. Sobre o feminismo e a resiliência feminina

“Milk and Honey” editado no Brasil como “Outros jeitos de usar a boca” é um livro de poesia escrito e sentido pela Rupi Kaur, publicado em 2014. Inicialmente publicado de forma independente pela autora, ficando mais de 40 semanas no topo das listas de best-sellers. No Brasil, foi editado e publicado pela editora Planeta em 2017. São 208 páginas que trazem poemas curtos e ilustrações autorais da Rupi. O volume é dividido em quatro partes e cada uma aborda um tema diferente, como a violência, o amor, a perda e a feminilidade, mas que, ao todo, se complementam. É uma poesia marcada pelo empoderamento feminino. 

A primeira parte aborda a dor. A dor que marca é a da violência, representada pelo abandono, pelo abuso e pelo estupro, mas também a dor do amor não correspondido. São poemas curtos, mas pesados, que fazem refletir e sentir a dor, não apenas a da autora, mas as nossas próprias. As palavras amargas revivem memórias dolorosas das histórias pessoais de cada leitor. Na segunda parte, a autora trata do amor, o que nem sempre pode ser considerado algo positivo. Pois o amor também pode causar dor, algo que fica explícito no texto. Os poemas são mais suaves e a ideia central é que mesmo o amor podendo machucar, ele vai além disso. Ele traz a esperança e a cura. 

A terceira parte envolve a temática do fim, da ruptura e das separações. Não apenas nos relacionamentos, mas também uma proposta de ruptura com as crenças culturais, o que não representa, de todo, algo negativo. A autora inclui temas como amor próprio e a coragem de seguir em frente, deixando para trás o que não nos pertence mais. 

A quarta e última parte fala sobre a cura, passando pelo processo de desvendar o amor próprio, pela evolução, pelo enfrentamento dos medos, principalmente o da solidão. A ideia principal é que não importa o quanto doa e machuque, o processo de cicatrização pode ser longo, mas cicatriza. Também estão presentes temas como feminismo, sororidade e empatia, sendo uma forma de dizer você não está sozinha e as mulheres não precisam competir. 

Quando o leitor bate o olho na página, pode sentir uma estranheza, não apenas pelos textos curtos, mas também pela falta de pontuação. Os versos são estruturados de forma livre. Não há vírgulas ou letras maiúsculas, o leitor é quem determina o ritmo da leitura. Não apenas as palavras despertam sentimentos, como também as ilustrações de traços leves e expressivos. Os poemas não são restritos apenas para o público feminino, mas deixa de forma delicada uma mensagem às mulheres: mais amor e empatia. 

Rupi Kaur é poetisa e artista plástica. Nasceu na Índia e atualmente vive em Toronto, no Canadá. Desenha desde pequena e dedicou-se ao hobby até os 17 anos, quando passou a dedicar-se mais à escrita e às performances. Ela utiliza a poesia, a ilustração, o design, a fotografia, os vídeos e a direção criativa para se expressar, sempre abordando temas como feminilidade, amor, perda, trauma e cura.
Ficha técnica:
Título: Outros jeitos de usar a boca
Autor: Rupi Kaur
Editora: Planeta
Páginas: 208
Ano de publicação: 2017

Por Ana Clara Marcondes.
Até a próxima!

0 comentários