Resumo final de semana #14

Os resumos abaixo são do último final de semana, dias 22 e 23 de agosto. No final de cada resumo, você pode conferir a matéria completa no veículo de comunicação, clicando no link. 

Política 


Alerj pagou R$ 442 mil de auxílio-alimentação para ex-assessores de Flávio Bolsonaro 

Fabrício Queiroz e sua família, parentes do miliciano Adriano da Nóbrega, assim como ex-assessores do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), quando ele era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), receberam, ao menos, R$ 442,8 mil em auxílio-alimentação à época em que eram servidores do gabinete. O auxílio-alimentação é depositado diretamente na conta do servidor, portanto não há registro dos valores ou desconto nos contracheques. As informações foram obtidas pelo jornal O Globo por meio da Lei de Acesso à Informação. No entanto, o valor pode ser maior, visto que a Alerj só tem informações individuais sobre o benefício a partir de 2011 e algumas pessoas que receberam foram nomeadas em 2007. Leia mais em UOL

Pedido de impeachment pode ser adiantado após ataque a jornalista 

Neste domingo (23), o presidente da república, Jair Bolsonaro, disse que teria vontade de encher a boca do jornalista do GLOBO de porrada. A ameaça teria vindo após o repórter ter questionado sobre os R$ 89 mil que a primeira dama, Michelle Bolsonaro, teria recebido de Fabrício de Queiroz. A oposição logo se movimentou para inserir o novo trecho nos processos de impeachment contra Bolsonaro acusando-o por dois crimes de responsabilidade. O primeiro, por ser contra o exercício de direitos individuais, e, o segundo, por improbidade administrativa. Leia mais em Último Segundo

Dados sobre respostas de denúncias de violação de direitos humanos não são publicadas em relatório do Governo 

O relatório Disque Direitos Humanos de 2020 não publicou os dados sobre respostas e encaminhamentos das denúncias recebidas. Segundo o Ministério da Mulher, da Família e de Direitos Humanos, responsável pela elaboração do relatório, a exclusão dos dados é “decisão editorial”. Os dados do documento divulgado em 2020 são referentes a 2019 e, segundo o relatório, os casos mais frequentes são de violência contra crianças e adolescentes. Ao todo foram 86.837 denúncias. O problema apontado é que, a partir do documento deste ano, não se sabe se essas denúncias foram respondidas. Em nota à Folha de S. Paulo, o Ministério da Mulher, da Família e de Direitos Humanos, informou que todas as denúncias recebidas são encaminhados aos órgãos da rede de proteção. Entenda mais em Poder 360

Economia 


Parte do valor destinado ao combate da pandemia ainda não foi usado 

O orçamento de guerra do governo contra a pandemia do coronavírus têm ganhado destaque não apenas pela quantia autorizada até o momento, cerca de R$ 500 bilhões, mas, também, por apresentar alguns ministérios que receberam recursos sem estarem ligados diretamente a crise sanitária ou econômica, e estão com a maior parte da verba parada. Um deles é o Ministério do Turismo, que recebeu dotação de R$ 8 bilhões, mas só registrou o pagamento de menos de 10%. O outro é o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), o qual teve autorização para gastar cerca de R$ 200 milhões, em medidas para combate a saúde e apenas R$ 42,1 milhões foram pagos até a última sexta-feira. Confira mais em Correio Braziliense

Governo Federal pode anunciar plano para destravar economia e agenda social no país 

O pacote de medidas será comandado pelo presidente Jair Bolsonaro e será anunciado na próxima terça feira (25). Na pauta do plano de metas para a retomada econômica, a reforma administrativa, que elimina a estabilidade de carreiras no serviço público, deve ficar de fora por enquanto. A ampliação do Bolsa Família e a prorrogação do auxílio emergencial são um dos pontos principais do plano reformulado e chamará plano Pró-Brasil. Leia mais em Folha de S. Paulo

Mercado prevê queda de 5,46% do PIB em 2020 

O mercado financeiro melhorou a previsão de queda do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020. De acordo com os analistas consultados pelo Banco Central, a economia deve ter uma queda de 5,46%. Segundo o relatório do Boletim Focus, a taxa de juros - Selic - deve fechar 2020 em 2% ao ano, não havendo mudanças em relação à semana anterior. Veja mais na matéria do Poder 360.

Saúde 


Brasil torna-se laboratório mundial da corrida contra a Covid-19 

A expansão da Covid-19, um consolidado e extenso programa de vacina nacional, prestigiosos institutos de pesquisa biomédica e milhares de voluntários dispostos a receberem a vacina são alguns dos fatores que transformaram o Brasil em um atrativo laboratório para os cientistas e empresas envolvidos na corrida para conseguir uma vacina. O país é capaz de produzir 500 milhões de doses de vacinas por ano. Uma quarta vacina experimental será testada no Brasil, a desenvolvida pela Janssen, a farmacêutica da Johnson & Johnson, com 7.000 voluntários de diferentes estados. Somando-se aos testes que já estão sendo realizados pela Universidade de Oxford e a empresa AstraZeneca, que está na última fase de teste com 5.000 voluntários e o da farmacêutica chinesa Sinovac, com 9.000 brasileiros. E outra vacina, elaborada pela Pfizer, será testada em mil profissionais sanitários na Bahia. Leia mais sobre em EL PAÍS

Fiocruz projeta produção interna da vacina contra a Covid-19 para abril de 2021 

O Ministério da Saúde anunciou, em entrevista coletiva, que a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) poderá estar pronta para a produção interna de vacina no Brasil a partir de abril do próximo ano. A Fiocruz e a AstraZeneca farmacéutica assinaram um contrato para a importação de insumos já na primeira semana de setembro e, até o mês de dezembro, os primeiros lotes chegam no Brasil. Caso o cronograma se confirme, a vacina estará disponível para a população em janeiro de 2021, e a produção interna a partir de abril. Leia mais no portal UOL


Estados flexibilizam medidas de combate à Covid-19, mas adiam o retorno das aulas 

Diversos estados do Brasil vêm flexibilizando as medidas sanitárias de combate à Covid-19 neste mês de agosto, mas o retorno das aulas segue em avaliação em vários locais. O Distrito Federal foi um dos primeiros a anunciar o retorno, mas depois recuou na decisão e disse que a retomada está suspensa por tempo indeterminado. Veja outros estados que seguem em processo de discussão de retomada, na Agência Brasil.

Até a próxima!
Equipe CN.

0 comentários