Resumo da semana de 3 a 7 de agosto

Confira o que aconteceu nesta semana entre os dias 3 a 7 de agosto. As reportagens completas dos resumos que selecionamos podem ser acessadas através do link no final de cada resumo. 

Política 

Bolsonaro assina MP de R$1,9 bi para produção de vacina contra Covid-19 

Nesta quinta-feira (6), o presidente Jair Bolsonaro assinou a MP que abre crédito de R$1,9 bilhão para a produção e aquisição da vacina contra a Covid-19, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca. O dinheiro será destinado à Fiocruz. Caso a eficácia da vacina seja comprovada, o Brasil deve produzir 100 milhões de doses até o 2º trimestre de 2021. Desse número de doses, espera-se que 30 milhões fiquem prontas em dezembro ou janeiro. Confira mais informações em Poder 360

Revista Piauí publicou uma matéria dizendo que Bolsonaro tentou dar golpe em maio 

Monica Gugliano, jornalista do Valor Econômico, publicou, esta semana, uma matéria, na edição de agosto da revista Piauí, dizendo que Jair Bolsonaro tentou intervir com as Forças Armadas e alguns ministros de Estado, no Supremo Tribunal Federal (STF). Em detalhes, o ato acontecera no dia 22 de maio, logo após a declaração de Celso de Mello para apreender o celular de um dos filhos do presidente, Carlos Bolsonaro. Os ministros Fernando Azevedo (Defesa), o general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e o comandante do Exército, Edson Leal, estavam presentes no dia em questão. O STF ainda não se posicionou quanto a matéria e Bolsonaro defendeu as Forças Armadas em evento público em Brasília, mas também não se manifestou sobre a matéria. Leia o texto de Monica Gugliano na Revista Piauí e a matéria sobre o evento com a presença do presidente, nesta quinta-feira (6), no site do UOL NOTÍCIAS

STJ nega liminar que suspenderia a nomeação de Camargo da presidência da Fundação Palmares 

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) publicou, nesta quarta-feira (5), a decisão de manter Sérgio Camargo no cargo da presidência da Fundação Cultura Palmares. Um recurso da Defensoria Pública da União (DPU) pedia a suspensão da nomeação de Camargo da presidência, alegando que seu histórico o desabilita da condução da Fundação. No entanto, a Corte Especial do órgão, em unanimidade, decidiu manter Camargo à frente da instituição, apesar das recentes polêmicas envolvendo seu nome. Leia mais na Folha de S. Paulo

Economia 

Economia brasileira teve queda de 11,2% no 2° trimestre 

Os dados do Indicador de Atividade Econômica (IAE) apontaram um encolhimento da atividade da economia brasileira de 11,2% no 2° trimestre de 2020, em comparação ao ano anterior. Mesmo com o crescimento de 0,7% da atividade econômica, o ponto alto de retração em abril foi determinante para o desempenho no trimestre posterior, diz a Fundação Getúlio Vargas (FGV). No mês de junho, o encolhimento foi de 9,4% e teve melhor resultado que maio, com 12,7%. Com esses dados em acúmulo, a FGV previu uma queda de 5,8% no primeiro semestre. Leia mais em G1

8,9 milhões de pessoas perderam o emprego no auge da pandemia, diz IBGE 

Os dados oficiais, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quinta-feira (06), apontam que a taxa oficial de desemprego subiu para 13,3% no país no trimestre encerrado em junho. É a maior taxa de desemprego dos últimos três anos. Durante o período do ápice da pandemia, 8,9 milhões de postos de trabalho foram fechados. De acordo com o IBGE, cerca de 12 milhões de pessoas estão procurando emprego no país. Veja mais em DW

Poupança volta a atrair brasileiros em meio à pandemia 

A poupança, aplicação financeira mais tradicional dos brasileiros, voltou a atrair o interesse da população durante a pandemia da Covid-19. Segundo o Banco Central, em julho, os investidores depositaram R$27,14 bilhões a mais do que retiraram da aplicação. Esse valor é o maior registrado para o mês desde o início da série histórica, em 1995. A aplicação tinha começado o ano no vermelho e, com o começo da pandemia, em março, os depósitos passaram a superar os saques. Veja mais em Agência Brasil

Saúde 

Brasil pode receber 30,4 mi de doses da vacina contra a Covid-19 até o final de janeiro de 2021 

Arnaldo Correia, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério de Saúde, afirmou, em coletiva nesta quarta-feira (5), que está sendo elaborada uma estratégia nacional para a distribuição da vacina contra a Covid-19. Caso a vacina de Oxford tenha eficácia comprovada até novembro, entre os meses de dezembro e janeiro, o Brasil pode receber até 30,4 milhões de doses, sendo 15,2 milhões para cada mês. A partir de março, mais de 70 milhões de doses serão distribuídas de forma gradativa a população. Pelo acordo feito entre o laboratório e o governo federal, a vacina será distribuída apenas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Leia mais em Agência Brasil

Métodos de testagem diferentes atrapalham o controle da pandemia 

Os registros oficiais somam, desde abril, os resultados de testes rápidos e de exames do tipo PCR. O primeiro mostra se o paciente teve contato com o vírus no passado e são considerados imprecisos, enquanto no segundo é possível constatar a presença do vírus no organismo no momento do exame, por isso são considerados ideais para o diagnóstico. Considerando o resultado dos dois métodos nas contagens oficiais, perde-se a capacidade de monitorar a evolução da doença em tempo real, o que atrapalha a tomada de decisões dos gestores públicos para rastreamento de casos e flexibilização do isolamento social. O Brasil tem feito mais exames rápidos e, segundo epidemiologistas, os dados divulgados pelo governo não refletem a atual situação da transmissão do coronavírus no país. Leia mais em Nexo Jornal

Ministério da Saúde monitora possível doença relacionada com a Covid-19 

O Ministério da Saúde informou que está monitorando casos de uma nova doença que está atingindo crianças e que pode estar relacionada com a Covid-19. A síndrome inflamatória multissistêmica (SIM-P) ocorre em crianças de sete meses a 16 anos. O órgão diz estar em diálogo com as secretarias estaduais e municipais de Saúde para averiguar os casos. Apesar de ainda não existirem evidências de que uma doença esteja relacionada com a outra, as autoridades avaliam a evolução da síndrome no país. Confira as informações completas em Agência Brasil.

Até a próxima!

Equipe CN.

0 comentários