Resumo da semana de 29 a 3 de julho


Confira o que aconteceu nesta semana, entre os dias 29 a 03. As reportagens completas dos resumos que selecionamos podem ser acessadas através do link no final de cada resumo. 

Política 


STF autoriza prorrogação do inquérito das fake news 

Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a prorrogação do inquérito das fake news, na última quarta-feira (01). O prazo foi estendido por mais seis meses para investigação sobre a disseminação de notícias falsas, ofensas e ameaças contra os integrantes do STF e que tem como alvo aliados de Bolsonaro. 72 investigações já foram encaminhadas para a Justiça de primeira instância e tornaram-se inquéritos policiais. Leia mais no DW

Após 5 dias como ministro da Educação, Ricardo Decotelli pede demissão 

Após ser acusado de inflar currículo e plagiar na dissertação de mestrado, Ricardo Decotelli pediu demissão do Ministério da Educação. O currículo do ex-ministro foi lido na live de segunda-feira (29) pelo presidente Jair Bolsonaro que fez vários elogios ao mesmo. As instituições citadas no currículo de Decotelli negaram a aprovação de suas dissertações e alegaram plágio de conteúdo. O ex-ministro ainda fez alterações sobre sua patente da Marinha que alegava ser “Oficial da Reserva Marinha”, no entanto, ele havia sido da RM2, classe da Marinha que não requer concurso, apenas trabalho temporário. Leia mais em Poder 360

Renato Feder é escolhido para ocupar cargo de ministro da Educação 

Nesta sexta-feira (3), o presidente Jair Bolsonaro escolheu Renato Feder para ocupar o cargo de ministro da Educação. A nomeação foi anunciada no Twitter da deputada Bia Kicis (PSL-DF), aliada de Bolsonaro. O atual secretário da Educação no Paraná vai suceder o ex-ministro Carlos Alberto Decotteli da Silva, que pediu demissão cinco dias após assumir o cargo devido à uma série de inconsistências curriculares. Entenda mais do caso no Poder 360

Economia 


OIT aponta perda de 47 milhões de empregos na América Latina devido a pandemia 

A Organização Mundial do Trabalho (OIT, um órgão da ONU) atualizou os possíveis prejuízos sobre o mercado de trabalho, na última terça-feira (30). De acordo com a organização, durante o segundo trimestre do ano, a pandemia cortou 47 milhões de empregos em tempo integral na América Latina, totalizando a perda de 400 milhões de empregos em todo o mundo. A OIT alerta que cerca de 90% dos trabalhadores no mundo vivem em lugares com altas restrições a atividade econômica e profissional, o que faz com que as ações que serão tomadas para remediar o problema sejam determinantes para o futuro do trabalho. Confira mais no EL PAÍS

Segundo pesquisa do Itaú, a economia brasileira deu sinais de recuperação gradual 

Segundo o indicador de atividade econômica do Banco Itaú, lançado nesta quinta feira (02), o pior da pandemia ficou no passado e mostrou sinais de que a economia do país voltou a se recuperar de forma gradual. O Itaú Daily Activity Tracker (IDAT) faz os acompanhamentos de vendas do comércio dos grande e pequenos negócios desde o início da pandemia. Mesmo a passos lentos, os economistas do Itaú não descartam uma recaída do Produto Interno Bruto (PIB). Confira a reportagem completa no portal do G1

Ministério da Economia prevê déficit de R$828,6 bilhões em contas públicas 

Segundo previsão do Ministério da Economia, as contas públicas devem fechar com déficit de R$828,6 bilhões neste ano. O valor corresponde a 12% do Produto Interno Bruto (PIB). Waldery Rodrigues, secretário especial da Fazenda, informou que o esforço primário adicional, em circunstância das medidas tomadas para o enfrentamento da Covid-19, soma R$521,3 bilhões; deste total, R$508,5 bilhões são aumento de despesas. Confira mais na Agência Brasil

Saúde 


Pesquisa mostra que 91% dos infectados pela Covid-19 apresentam sintomas 

A pesquisa, realizada pelo Ministério da Saúde junto com a Universidade Federal de Pelotas, mostrou que 91% dos infectados pela covid-19 no Brasil apresentam sintomas. Os resultados foram divulgados na última quinta-feira (2) pela Pasta em coletiva no Planalto. De acordo com a pesquisa, 9% são assintomáticos e um dos principais sintomas é a mudança de olfato e paladar. Os resultados apontaram que a taxa de letalidade está em 1,15%, ou seja, com cerca de um óbito a cada cem pessoas infectadas. Leia mais no UOL

Paraná emite novo decreto para sete regionais de saúde do estado 

Na última quarta-feira (01), o Governo do Estado do Paraná emitiu um novo decreto (n° 4.951) para sete regionais de saúde do estado. O documento atualiza termos do decreto n°4.942 sobre as medidas sanitárias contra o novo coronavírus e adota medidas mais rígidas para as regionais de Cascavel, Cianorte, Cornélio Procópio, Curitiba, Londrina, Foz do Iguaçu e Toledo. A principal mudança é nos transportes públicos de cada cidade, a retirada de feiras livres e serviços não essenciais como farmácias, mercados e postos de gasolina. Leia mais em Agência de Notícias do Paraná

Vacinas não vão acabar com a circulação da Covid-19, diz diretor do Instituto Butantan 

Segundo o diretor de Pesquisa Clínica do Instituto Butantan, Ricardo Palacios, as vacinas em desenvolvimento no mundo contra a Covid-19 poderão controlar a doença. No entanto, nenhuma delas será capaz de acabar com a circulação do vírus no planeta. Ele ainda fez uma analogia com a gripe, uma vez que pessoas vacinadas contra o vírus influenza podem chegar a desenvolver a gripe e, assim, disse que o mesmo poderá ocorrer com as vacinas contra o coronavírus, já que a vacina vai proteger as pessoas de desenvolverem a Covid-19 em sua forma grave. Veja a reportagem na Agência Brasil.

Até a próxima!
Equipe CN.

0 comentários