Resumo da semana de 01 a 05 de junho

Confira o que aconteceu nessa semana, entre os dias 01 a 05 de junho. As reportagens completa dos resumos que selecionamos podem ser acessadas por meio do link no final de cada resumo.

Política


Inquérito das fake news será julgado em 10 de junho 

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), marcou para o dia 10 de junho o julgamento do inquérito das fake news. O inquérito foi aberto por Toffoli, sem que a Corte fosse provocada por alguém ou pela Procuradoria Geral da República (PGR). A ação é garantida pela legislação quando há ameaça ou crime relacionado às dependências do Supremo. O relator do caso, o ministro Edson Fachin, solicitou urgência para a resolução do caso. Segundo à apuração do Poder 360, o STF deve reafirmar que o inquérito das fake news é legal. Leia mais no Poder 360

Eduardo Pazuello é nomeado ministro interino do Ministério da Saúde 

O presidente Jair Bolsonaro confirmou, na última quarta-feira (03), o general Eduardo Pazuello como ministro interino do Ministério da Saúde, após 19 dias da saída do então ministro da Saúde Nelson Teich. O decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) também exonerou o general do cargo de secretário executivo. Para esse cargo foi, então, nomeado o coronel Antônio Elcio Franco Filho. Confira mais na matéria do G1

Sérgio Moro diz querer permanecer no debate público e não descarta possível candidatura 


O ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, quer permanecer no debate público e não descarta possível candidatura. Segundo ele, “não é momento de avaliar essa possibilidade”, enquanto o Brasil passa por uma pandemia. Moro disse que não vai deixar a sociedade, que permanecer participando do debate público é opção e avalia ter condições para isso. O ex-ministro saiu do governo Bolsonaro após a exoneração do diretor da Polícia Federal do Rio de Janeiro, Maurício Valeixo. A acusação de interferência política por parte do presidente do país, também, foi um dos motivos da saída de Sérgio Moro. A matéria completa está no portal do Correio Braziliense.

Economia


Bolsonaro veta uso de R$8,6 bilhões destinado ao combate da Covid-19 

Na última quarta-feira (3), o presidente Jair Bolsonaro vetou o uso de R$ 8,6 bilhões para combater a pandemia da Covid-19. O recurso havia sido aprovado no Congresso em 12 de maio. Bolsonaro justificou a ação dizendo que o Congresso violou certos princípios e afirmou que o destino do recurso foi alterado. No entanto, o Congresso Nacional analisará o veto, podendo recusá-lo. A data para análise não foi definida. Confira mais no Poder 360

Atraso no pagamento do benefício emergencial do Governo Federal 

Empregados sem jornada ou salário fixo e aqueles que tiveram jornada de trabalho reduzida ou contrato suspenso durante a pandemia ainda não receberam o auxílio. O valor das parcelas varia entre R$261,25 e R$ 1 813,03, sendo calculada de acordo com o seguro-desemprego que o trabalhador teria direito se fosse demitido. Alguns pagamentos vêm sendo adiados desde meados de maio. Confira mais na reportagem do UOL

Cerca de R$83 milhões de reais foram remanejados do Bolsa Família para a Secom 


Na última quinta-feira (4), a Secretaria Especial de Comunicação Social (SECOM) do Governo Federal recebeu R$ 83 milhões do Bolsa Família. O ministério da Economia justificou a transferência a pedido da Presidência da República, alegando que a operação não prejudica nenhum beneficiário do programa. A SECOM é um dos alvos da crise sobre o uso do dinheiro público para a publicidade. Em relatório produzido para CPMI das Fake News, foi identificado mais de dois milhões de anúncios nas redes sociais, aplicativos e site inapropriados pagos pela Secretaria de Comunicação. O destino da verba era para a veiculação da campanha para a reforma da Previdência Social. A matéria na íntegra está no portal Metrópoles.

Saúde


Hospital das Clínicas de São Paulo inicia tratamento contra a Covid-19 com o uso de plasma de pacientes recuperados 

O uso do plasma convalescente já era feito na rede privada de hospitais. No Hospital das Clínicas, em SP, é o primeiro caso de uso na rede pública. Ao todo, 40 pacientes vão receber de 400 a 600 ml de plasma. Outros 40 serão o grupo controle, que não receberão amostras. São pacientes internados em enfermarias e UTIs, com a autorização dos familiares. O uso do plasma já foi usado, com resultados positivos, em outras infecções respiratórias, como a do vírus influenza H1N1, a Sars-Cov-1 e a Mers-Cov. Confira mais na matéria do G1

Carlos Wizard, futuro secretário da Saúde, defende o uso da cloroquina como prevenção da Covid-19 

Carlos Wizard irá assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde. Ele defende o uso da cloroquina e hidroxicloroquina como prevenção para o novo coronavírus. Convidado pelo atual ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, para compor a equipe, o futuro secretário diz que espera a sua nomeação até esta sexta-feira. Eles trabalharam juntos na Operação Acolhida, em Roraima, em uma ação social de apoio à venezuelanos na fronteira. A matéria completa está disponível no portal do IG

Pode ser necessário duas doses da vacina contra a Covid-19, segundo diretor de agência dos EUA 

Francis Collins, atual diretor dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos disse em entrevista à CNN que uma vacina contra o novo coronavírus pode exigir duas doses para que seja eficaz. Uma única dose seria a melhor opção. No entanto apenas com os ensaios clínicos, que começarão nos próximos meses, será possível avaliar a necessidade de uma ou mais doses. Confira mais em CNN Brasil.

Até a próxima!
Equipe CN.

0 comentários