Resumão final de semana #02

Os resumos deste final de semana se referem aos dias 30 e 31 de maio.
No final de cada resumo, você pode conferir a matéria completa do jornal clicando no link.

Política


Bolsonaro diz que “tudo aponta para uma crise” 

Em um post no Facebook, no último sábado (30), o atual presidente, Jair Bolsonaro, escreveu que "tudo aponta para uma crise". O comentário refere-se às últimas decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que focam na família, aliados, e na campanha presidencial de 2018. Bolsonaro destacou o encaminhamento feito pelo ministro Celso de Mello contra Eduardo Bolsonaro, à Procuradoria-Geral da República, pedindo investigação por crime de incitação à subversão da ordem política ou social. Mencionou, também, o avanço do inquérito das fake news, entre outras reportagens feitas por grandes veículos de comunicação. Confira mais em CNN Brasil

Representantes do meio político, cultural e empresarial apresentam manifesto em defesa da liberdade e da democracia 

No último sábado (30), personalidades políticas e culturais lançaram um manifesto contendo mais de 6 mil assinaturas. O movimento “Estamos Juntos” pede no texto que os representantes e lideranças do país exerçam suas funções com êxito diante da atual crise sanitária mundial, econômica e política. Em trechos, o manifesto defende uma administração pública baseada na Constituição, principalmente no combate à corrupção, a desigualdade e comprometimento com a educação, saúde e segurança do país. Em trecho final, o movimento “Estamos Juntos” reforça que seu principal objetivo é “combater o ódio e a apatia com afeto, a informação, a união e a esperança”. O manifesto na íntegra está no portal do G1

Grupo pró-Bolsonaro protestou com tochas e máscaras em frente ao STF 

Ontem (31), um grupo de pessoas pró-Bolsonaro protestaram em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF). Liderado por Sara Winter, que é investigadora no inquérito contra fake news, que, atualmente, tramita no STF, o grupo era formado por poucas dezenas de pessoas, que usavam máscaras, roupas pretas e tochas. Segundo a ativista bolsonarista, que faz parte do movimento “Os 300 do Brasil”, grupo armado de extrema direita, a ação era contra o ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito das fake news. Veja mais sobre o protesto no O Globo.

Economia


Ex-presidente do Banco Central acredita que não é o momento de reabrir a economia 

Affonso Celso, ex-presidente do Banco Central, enxerga como precipitada a decisão de reabrir a economia no Brasil antes de diminuir o número de mortes pela Covid-19. Ele menciona que foi após a queda do número de óbitos que outros países voltaram a abrir suas economias. De acordo com Celso, o "Brasil reagiu muito mal" e acredita que "nossa recessão vai durar mais tempo. Vamos abrir, mas vamos ter de fechar de novo". Confira mais em Seu Dinheiro

Agronegócio mantém seu crescimento durante a pandemia do Covid-19 

O crescimento da agropecuária subiu 0,6% no primeiro trimestre de 2020, comparado a 2019, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O setor foi o único em crescimento durante a pandemia do novo coronavírus no país. Apesar da COVID-19 afetar a economia brasileira, o agronegócio deve ter alta de 2,5% em 2020, levando em conta que a safra de grãos estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) aponta para 2,3%. A matéria completa sobre o assunto está disponível no portal Canal Rural

Pandemia atinge agricultura familiar 

Os impactos da pandemia chegaram, também, na agricultura familiar e extrativista (com uma população estimada em 18 milhões). Dos 131 negócios comunitários, que fizeram parte de uma pesquisa, 80% dos participantes não têm condições financeiras de se manterem depois do mês de junho. A produção, principalmente, é para o consumo interno da população brasileira. O setor, até o momento, não recebeu ajuda emergencial. Confira mais na reportagem do Poder 360.

Saúde


Ministério da Saúde altera as estratégias de comunicação e passa a destacar dados positivos 

Desde a posse do ex-ministro, Nelson Teich, o Ministério da Saúde vem adotando as medidas de divulgação de dados ‘positivos’, em relação a pandemia da COVID-19. Os dados passaram a ser divulgados pela assessoria de imprensa em número de casos e número de recuperados, dando menor visibilidade para as mortes. Após a saída de Teich, Eduardo Pazuello intensificou ainda mais essa estratégia. Por pressão do governo federal, a divulgação dos recuperados é maior e o portal de informação do coronavírus também foi reformulado para dar mais ênfase a esses dados. A matéria completa está no portal do jornal O Globo

Aumenta o número de exames alternativos para detectar a Covid-19 

A quantidade de exames sorológicos e genéticos se multiplicou após a Organização Mundial de Saúde decretar a pandemia. O que amplia a capacidade de testagens, bem como a qual método recorrer. Agências regulatórias, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Brasil (Anvisa), e a Food and Drug Administration (FDA), norte-americana, estão facilitando o registro de testes devido à gravidade da pandemia. No entanto, os laboratórios precisam apresentar os resultados da pesquisa e os estudos que comprovam a qualidade e segurança do produto. No Brasil há, atualmente, 126 testes aprovados e muitos outros esperando a aprovação da Anvisa. Leia mais sobre o assunto no Correio Braziliense.

Até a próxima!
Equipe CN.

0 comentários