Resumo da semana de 25 a 29 de maio


Confira o que aconteceu durante essa semana, entre os dias 25 a 29 de maio. 

As reportagens completas dos resumos que selecionamos podem ser acessadas por meio do link no final de cada resumo. 

Política


Ânimos exaltados na sede do Ministério Público Federal 

A reação da instituição é resultado do posicionamento do comandante do Ministério Público Federal, Augusto Aras, procurador-geral da República, contra o inquérito das fake news do Supremo. A Polícia Federal realizou 29 ordens de busca e apreensão em endereços de apoiadores do presidente, na última quarta-feira (27). No mesmo dia, Aras solicitou a suspensão do inquérito ao STF, afirmando que o MP não havia concordado com a ação; contrariando a posição favorável ao prosseguimento da investigação quando assumiu o cargo. Confira mais na Piauí

Datafolha registrou rejeições recordes ao governo de Bolsonaro 

Diante da crise sanitária e política que vem acontecendo no Brasil, a Datafolha registrou um crescimento recorde de rejeição no governo do presidente Jair Bolsonaro. A pesquisa foi realizada entre os dias 25 e 26 de maio e mostra que a administração é vista como ruim ou péssima por 43% dos brasileiros. Entre ótimo e bom, continua no patamar de 33%. Confira mais no site da Folha de S. Paulo

Governo pede a suspensão do depoimento de Abraham Weintraub ao STF 

Por meio de uma rede social, o ministro da Justiça, André Luiz Mendoça, entrou com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF), na tentativa de suspender o depoimento do ministro da Educação, Abraham Weintraub. Na reunião de 22 de abril, Weintraub defendeu a prisão dos ministros do STF, os chamando de “vagabundos”. O STF determinou que o ministro preste depoimento sobre o episódio. No entanto, o ministro da Justiça pediu que Abraham Weintraub fosse excluído do inquérito. A reportagem completa está no portal do G1

Economia


PIB baixou 1,5% no 1º trimestre e pode piorar nos próximos meses 

O Produto Interno Bruto (PIB) caiu 1,5% no primeiro trimestre deste ano, entre os meses de janeiro e março, em comparação com o trimestre anterior. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta sexta-feira (29). A queda é vista por especialistas como resultado do “início do efeito coronavírus” e da crise política. De acordo com economistas, os dados do PIB podem piorar no segundo trimestre. Confira os efeitos da crise sanitária e política na economia na BBC News


Cerca de 66% das empresas do setor industrial não demitiram funcionários na atual crise 

De acordo com o levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI), cerca de 74% das empresas do setor industrial sofreram impactos causados pela pandemia da Covid-19. No entanto, 66% não demitiram seus funcionários. O estudo foi realizado pelo FSB Pesquisas, entre 15 a 25 de maio. Por telefone, foram entrevistados 1.017 executivos do setor de todo o Brasil. Entre outros dados, foram levantados, também, que cerca de 82% dos entrevistados sofreram redução de faturamento nos últimos 45 dias. A análise completa está no site do Poder 360

Pagamentos da 1ª parcela do auxílio emergencial foi concluída para os novos aprovados segundo a Caixa Econômica 

A Caixa Econômica disponibilizou o saque em dinheiro para mais um lote de pagamentos dos auxílios emergenciais, nesta sexta-feira, (29). Foram mais 600 mil aprovados pelo programa federal. De acordo com o banco, 57,9 milhões de trabalhadores já receberam o benefício. O pagamento em espécie começa a partir de amanhã (30), com cerca de 2,2 mil agências abertas para o atendimento. O horário de funcionamento será das 08h até 12h. A Caixa Econômica retoma todos aqueles que chegarem dentro do horário de funcionamento serão atendidos normalmente, não tendo necessidade de madrugar nas filas. A matéria completa está no portal da Agência Brasil

Saúde


Profissionais de saúde enfrentam medo e desamparo frente à pandemia 

Profissionais da saúde relataram sentirem-se desamparados e sem preparo no enfrentamento da pandemia, de acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Getulio Vargas. Foram ouvidos 1.456 trabalhadores de saúde pública, através de questionários eletrônicos, entre os dias 15 de abril a 1º de maio. Os resultados mostram que apenas 14,2% dos entrevistados afirmam sentirem-se preparados para trabalhar com a Covid-19. Confira os resultados completos do estudo e relatos dos profissionais no Nexo Jornal

Consumo de álcool e outras drogas crescem durante a pandemia 

Segundo o estudo publicado na revista Alcohol and Drug Review, no Brasil, devido ao isolamento social causado pela Covid-19, o consumo de álcool e outras drogas cresceram. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou que os países adotem políticas para limitar a venda de bebida alcoólica. O estudo reuniu pesquisadores do Brasil, Estados Unidos, Canadá e África do Sul. Segundo a reportagem da Folha de São Paulo, alguns desses países fecharam as seções de bebidas dos supermercados. Confira a matéria completa na Folha de S.Paulo

Hospital da UFPB tem preocupações com a saúde mental dos profissionais que atuam contra a Covid-19 

O Hospital Universitário Lauro Wanderley (PB) começou um levantamento de dados dos profissionais que estão atuando contra a Covid-19, para analisar quais os impactos na saúde mental deles. O estudo é coordenado por pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e executado através de um questionário disponível na internet. A partir dos dados levantados será possível saber como está o estado mental dos profissionais e elaborar estratégias de cuidados para eles. A ideia surgiu da observação do dia a dia de enfermeiros e médicos, tendo inspiração em um estudo parecido realizado na China. A matéria completa está disponível no portal do G1.

Até a próxima!
Equipe CN.

0 comentários